sábado, 31 de março de 2012

EDERALDO: VAI EM PAZ MANO VELHO!


O SAMBA É SEMENTE

http://www.lastfm.com.br/music/Ederaldo+Gentil
Partiu vai com Deus
Fica a saudade e um vazio
E o samba segue firme a sua estrada
Sempre uma luta enlutada
Na cadencia do Brasil
E hoje mais um guerreiro partiu
E seu canto fez história
Voa Ederaldo Gentil


Voa
Vai com Deus
E leva um abraço
A sambistas que tombaram
Nesta luta
Neste ardor
É assim que se repõe a natureza
Uma flor cai vira semente
Lembra o “Ouro e a madeira”
Duda S. Santiago
30/03/2012

quarta-feira, 28 de março de 2012

PÓS-GRADUAÇÃO / BAHIA


Informativo digital - ACEB - abril 2012.
A resistência marca o sucesso da iniciativa
Marinalva Nunes Pensar num projeto como Programa de Qualificação Profissional dos Trabalhadores Públicos é, antes de tudo, admitir que o processo de formação continuada, mesmo sendo um dos deveres incontestes do Estado, é uma responsabilidade de construção coletiva, que os trabalhadores organizados, através das suas entidades de classes podem executar ou fazer parcerias para sua promoção. Leia mais...
Cursos de pós-graduação que começam em março e abril
A ACEB continua oferecendo oportunidades em diversas modalidades de curso e, em especial, os cursos de Pós-Graduação do tipo Especialização. Turmas começam entre março e abril. Aproveite para se inscrever, pois a experiência acumulada pelo Programa pode fazer diferença em sua carreira.
Veja a relação dos cursos abaixo:
Outras informações / inscrição: www.acebqualifica.org.br

terça-feira, 27 de março de 2012

SERVIDORES DO ESTADO DA BAHIA NA LUTA PELA VALORIZAÇÃO PROFISSIONAL

Por Rodrigo Aguiar na Ag. Bahia Notícias

http://www.bahianoticias.com.br/

Grupo marchará até a Governadoria na quartaPara pressionar o governo a publicar os decretos de regulamentação de oito carreiras, servidores públicos estaduais realizarão uma marcha na próxima quarta-feira (28), a partir das 8h, em direção à Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). O objetivo do grupo é conseguir uma audiência com o governador Jaques Wagner para tratar do assunto. Ao serem questionados sobre o limite prudencial fixado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que poderá ser mencionado pela administração do Estado como motivo para a não-regulamentação – já que a medida causaria um aumento nas despesas com pessoal – os representantes da frente criada fizeram críticas ao Regime Especial de Direito Administrativo (Reda). Segundo eles, a contratação excessiva por meio do regime temporário e o alto número de cargos comissionados preenchidos por pessoas sem histórico no serviço público estariam diretamente relacionados à proximidade em atingir o teto recomendável. Além disso, os servidores afirmaram que R$ 18 milhões “retornaram” aos cofres públicos no ano passado. De acordo com eles, o montante teria sido destinado especificamente para custear gastos envolvidos com a regulamentação das carreiras. Como isso não aconteceu, o valor foi realocado em outras áreas. 

segunda-feira, 26 de março de 2012

BAHIA E A PRIVATIZAÇÃO DOS CARTÓRIOS



22/03/2012 às 10:30   | ATUALIZADA EM: 22/03/2012 ÀS 10:52
Fonte: Jornal A tarde

Os cartórios extrajudiciais, que foram privatizados, suspendem o atendimento nesta quinta (22) e sexta (23). A medida vale para todas as unidades do interior da Bahia e para sete, na capital. As unidades voltam a funcionar na próxima segunda-feira (26).
Dos 1.500 cartórios do estado, 146 foram privatizados e serão administrados por delegatários (servidores concursados do Tribunal de Justiça da Bahia). Os demais continuam sob a gestão do TJ-BA até que seja feito concurso para nomear os administrados.
Com a privatização, os cartórios mudam de endereço e as taxas cobradas pelos serviços são reajustadas. A reportagem de A TARDE comparou as custas cartoriais de cinco serviços da tabela vigente com a que entra em vigor nesta segunda (26) e encontrou diferenças de 250% a 398% nos preços.
Um exemplo é a despesa para solicitar um mandado de segurança, que passa de R$ 27,80 para R$ 69,50. Outro é valor da certidão negativa, que passa de R$ 2,70 para R$ 10,75. A tabela reajustada vale para todos cartórios, incluindo os administrados pelo TJ-BA.

O endereço dos cartórios privatizados ainda não foi divulgado. De acordo com decisão dos corregedores, desembargadores Antônio Pessoa Cardoso e Sinésio Cabral Filho, a interrupção do funcionamento nesta quinta e sexta acontece para transmissão dos acervos e imóveis dos cartórios para o TJ-BA.

Segundo o Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado da Bahia (Sinpojud), os gestores dos cartórios privatizados serão responsáveis por alugar uma sala para funcionamento do órgão, além de equipar o espaço. Portanto, os móveis serão devolvidos ao TJ-BA.


Confira a comparação de preços de cinco serviços oferecidos pelos cartórios:

                                     Nova tabela    Preços vigentes até 25/03  Reajuste

Mandado de segurança    R$ 69,50         R$ 27,80                            250%
Certidão negativa            R$ 10,75         R$ 2,70                             398%
Procuração simples          R$ 38,50         R$ 13,90                           276%
Registro de imóveis         R$ 77,00         R$ 27,80                           276%
Cancelamento protesto     R$ 6,16          R$ 2,10                            293%

http://atarde.uol.com.br/cidades/noticia.jsf?id=5822058&t=Cartorios+privatizados+suspendem+atendimento+ao+publico

UNEB - CEPAIA CURSO DE EXTENSÃO

UNEB : curso "Estudos étnico-raciais da sociedade baiana: história, cultura, memória e poder" - BA 

domingo, 25 de março de 2012

Nota Pública

Nota Pública!

A PEC 215 e o Palácio do Planalto

CIMI - Conselho Indigenista Missionário

CIMI - Conselho Indigenista Missionário

CIMI - Conselho Indigenista Missionário

Ministra dos Direitos Humanos impede leitura de nota pública e retira questionamentos a Belo Monte de relatório

A GRAÇA FAZ O QUADRO

Duda S. Santiago
O tempo congelou em reverência
A arte e a magia da canção
E a graça se fez verso, se fez prosa
Numa foto quilombola
A beleza de uma razão


Reluzindo uma guerreira
Musa, altiva e faceira
Olhar, pensar
Uma vida natureza
São detalhes que revelam
Um gingado do outro lado
Que energiza sua beleza
E também é um recado


Canto o amor em plena graça
Conversando com a semente
Calor humano e ternura
Sempre alimentam a gente
Flor Silvana uma Candace
Vem cantando alteridade
Com sua vida, sua história
A beldade é a liberdade

sábado, 24 de março de 2012

À GUITARRA BAIANA


Eduardo Sergio Santiago de Queiroz
 
Sei que surgistes da luta, na resistência que fervilha e aguça o ímpeto capoeira de libertação do nosso povo; sua vida e movimentação estão intimamente ligadas ao éter prazer de buscar e descobrir sempre um novo, um ponto que nunca é o auge ou o atingível êxito. São movimentos lépidos e preciosos como subir num aú, descer na negativa e Gingar no tempo dançando com a natureza.
Por obra e graça de Jah, viva a GUITARRA BAIANA! Seu nascimento é fruto da inspiração divina: dois homens apaixonados pela vida, dois artífices apaixonados pela idéia de viver e brigar pela vida e criar vida enquanto a vida fosse vida; maquinam, traquinam e mirabolam sob o toque condutor celeste para fazer nascer uma válvula de alegria logo depois da guerra como cantou Moraes Moreira, na terra Bahia.
Ela rompe o PAU ELETRICO, assim como a borboleta rompe o casulo, assim também como os rompimentos que se sucedem até ao momento mágico em que uma criança solta o vozeirão no mundo. Êa, ela veio ao mundo!!! Criada no “caminhão da alegria” virou questão de identidade e intimidade; assim como para o caminhão transitando mão ou contra-mão, ela cresceu sem limites e é exigente. Bastante soberba, é exigente tem linha o vínculo identitário que promove e dessafilha a uma Ligação! Como toda rebeldia e ação revolucionária poucos procuram conhecê-la profundamente, se comprometem ou tem condições de acompanhá-la.
E isso tem um preço, vários amigos se perderam e foram trabalhados literalmente: inimigos! Mas, a GUITARRA BAIANA cresceu a própria imagem da alteridade: xote, baião, MPB e foi dobrando os frevos, e estabelecendo outras relações como frevoxé em plena Lua dos Amantes no Largo dos Aflitos; Dias Gomes conseguiu fazer com que todos caminhassem pelas ruas e espaços da Ilhéus dos coronéis do cacau através da melodia Guitarra Baiana - e quem conhece a melodia, não caminha pelas ruas de Ilhéus sem sentir as histórias que remontam aos aureos tempos das Terras roças de cacau e suas demandas políticas e sociais.
E o tempo dançando num dialogo proveitoso com Beatles e toda a realidade circundante! Para tanto, guerrilheiros foram sendo criados  em pontos estratégicos para saber lidar com a tecnologia de explosão de fúria e revolta da alegria... Para os simples devotos os nomes de Armando e Aroldo Macedo; a partir daí, Lito uma lenda da guerrilha TAPAJÓS, Zezinho do Frevo, Dico, Gentil, Rabuta, hoje Rasbuta, Missinho, Jackson, Joãozinho (Jhony),Cacau Araújo que chegou a fazer Baiana, são guerreiros que como Maria Quitéria, Ajuricaba, Dandara e Zumbi, entre muitos outros e outras fizeram uma diferença positiva na trajetória das batalhas pela alegria de viver e ser livre.


Óbvio que o Trio Elétrico é outra história, mas, ao mesmo tempo tem a sua história ligada a Guitarra Baiana! Será que é tão difícil “sacar” que a coisa aconteceu entre a metalurgia e a eletricidade; sem dúvida alguma esses dois artífices foram iluminados e sem uma permissão protetora jamais teriam avançado para criar e interligar um instrumento incansável, que sempre exige mais e mais pique, e possui uma sede de energia insaciável para que o brilho e a qualidade do seu desenrolar sejam assimilados em um transe que Moraes Moreira equalizou: FREVO + TRIO = POVO.
“O enxame de gente que se completa no coração do poeta” – nesse processo o Trio Elétrico, em si um carro libertário, um caminhão que segue a risca todas as regras e normas da alegria, e que motiva uma dança também libertária, a coreografia do desejo e da vontade de pular, gritar, rir, chorar... Avesso a sincronia de todo mundo sai do chão, todo mundo pra direita etc. etc. etc. Esse toque mágico da criação não acontece por acaso na Bahia.
Mas toda essa rebeldia e irreverência têm um preço; a Guitarra Baiana e todo um ciclo de vida a partir dela criaram inimigos poderosos! E começaram a afirmar que aquele estilo era bárbaro e violento; algo que não era compatível ao ser humano!
Em suma, o etnocentrismo procurou reduzir as especificidades e diferenças, tornando-as mais diferentes do que são, exorcizando os referenciais do outro para torná-los nulos e indignos de consideração (...)
<Acesso e fevereiro de 2012-03-24>
E em nome de um novo processo musical chamado de musica baiana, axé music e por aí vai... Como se o toque ancestral aos dois artífices do processo anterior fosse desprovido de axé e baianidade. E foi criada a falácia de que na Bahia a mistura é sem limites e que tudo é misturado; até certo ponto é verdade, desde que, quem vier para ser misturado aos valores hegemônicos, esteja despojado de valores identitários. Tem que estar preparado para ser vitima dessa forma de manifestação da violência.
E os algozes foram implacáveis para com a Guitarra Baiana, para com o Frevo Trieletrizado da Bahia e o Caminhão da Alegria!!!  Nos últimos carnavais e demais manifestações e/ou eventos que a musicalidade trieletrizada se faça, ou seja, exigida, as demonstrações de que ela existe, é real e tem raiz começam a ecoar. As pessoas começam a perceber o vazio da aparência, alimentadas pela mídia, sem existência.
Muitas discussões precisam ser feitas procurando dar ao Trio Elétrico a sua liberdade de volta, a Guitarra Baiana que não se rendeu e não se curvou aos poderosos começa a retomar o seu espaço natural por conta da mesma força mística que a fez surgir; neste carnaval já foi possível perceber o povo procurando um trio... E a qualidade da musicalidade está ligada a capacidade musical dos músicos e não a potencia do som ou estrelas cadentes forjadas com brilhos artificiais.
A Guitarra Baiana tem ramificações profundas e precisa de espaço para se desenvolver e a sua ação não se limita ao Trio elétrico! O grande detalhe e que virou problema é a escassez de músicos capazes de fazê-la ecoar MPB, choro, xote, baião, reggae, etc. Agora, tem a questão da qualidade – se não fosse a resistência de Armando e Aroldo Macedo, o trabalho de reapresentação da Guitarra Baiana ao publico baiano seria muito mais vertiginoso, assim como esta sendo doloroso com o Trio elétrico.
Ao findar mais um carnaval, é hora de Moraes Moreira, Amando Macedo e outras personalidades que têm intimidade política com a proposta revolucionaria que representam a Guitarra Baiana e o Trio Elétrico refletirem cautelosamente questões ligadas a repertório; precisam ter consciência que o momento é didático e que precisam colaborar para despertar nos foliões e publico em geral as capacidades de espontaneidade que foram reprimidas e que, por assim ser, estão adormecidas.
Neste caso, a loucura de acompanhar um trio se esbaldando passo a passo, cada escala e evolução nos acordes “que vem lá do caminhão” até a mecânica dos músicos se estafarem, é coisa de outra geração! É bom pegarem leve até porque tem uma turma nova geração que não tem contato com a dinâmica dos acordes e aprenderam que uma musica feita em um ano, no ano seguinte é considerada velha; há toda uma lógica de mercado que em sua essência o Trio com uma Guitarra Baiana não comporta e ela, a Guita continua cada vez mais charmosa, atraente e sem perder a imponência e indomesticável.

Referencias:

sábado, 3 de março de 2012

PSOL Salvador: Falta de transparência nas eleições da APLB-Sindic...

PSOL Salvador: Falta de transparência nas eleições da APLB-Sindic...: Na quinta-feira, dia 1º, ocorreu a segunda audiência do processo que membros da Chapa 2 "APLB pra Lutar: Oposição de verdade" movem na Just...

Enquanto isso, o Governo deita e rola!!! Faz o que quer e não considera ou respeita ninguém... O Governo Wagner está dando aula de fundamentos de um Governo ati-povo, aos perplexos alunos do maternal: Os chamados "carlistas históricos ou não", o velho "cabeça branca" era fichinha"diante da turma que está área; com essa galera, se derrubar é penalti sem goleiro!!! Se por acaso alguém colocar para fora, vai ter repeteco por suspeita de invasão de área.